Cenas de um atropelamento

25/04/2012 § Deixe um comentário

O susto, o grito e a queda. É só disso que me lembro, e do medo de cair embaixo do carro.

Voltava do trabalho para casa, de bicicleta, no trajeto diário. Após atravessar a Faria Lima, continuo por dois quarteirões na Rebouças. Próximo a esquina com a rua Maria Carolina fui surpreendido por trás, não lembro muita coisa, cai no meio da via e por sorte o carro que vinha atrás estava a uma distância segura, conseguiu parar. O motorista que provocou a queda fugiu. Fui socorrido pela motorista do carro de trás, uma motociclista e um funcionário de uma escola próxima.

Felizmente sofri somente escoriações, mas isso não muda a gravidade da situação. A sensação após a queda é algo parecido com estar atônito, fiquei sentado na calçada, não tinha muitas reações, olhava o longe, pensava o que aconteceu? Um pedestre conseguiu pegar a placa do carro. Uma outra testemunha viu o carro estacionar em uma loja de roupa de noivas, o motorista estava dentro do carro. Fui pra lá, chamamos a polícia.

A polícia não demorou a chegar, verificaram o condutor, não tinha indícios de estar alcoolizado. Alegou que passou mal ao volante, teve uma crise de sinusite e não tinha visto nada. Estava sem os documentos. Não era habilitado. Foi indiciado por evasão do local e lesão culposa. O BO foi realizado na 14a delegacia de Pinheiros.

Agora estou bem, bati o joelho e cotovelo esquerdo, sem fraturas.

Não foi acidente. O motorista não tinha habilitação e não poderia estar conduzindo o veículo.

Anúncios

Onde estou?

Você está atualmente visualizando os arquivos para abril, 2012 em oinsustentavel.